Mercado imobiliário vive momento positivo 

Juros baixos é um dos fatores que influenciam para ter o cenário favorável 

Foto: Internet

Na contramão da crise, o setor de imobiliárias vem apresentando um bom crescimento, principalmente no segmento dos imóveis de alto padrão e de luxo. “Acredito que alguns acontecimentos estão auxiliando nesse bom momento. Como, a valorização do papel da moradia que veio com a pandemia, o Juro baixo e a disponibilidade de crédito”, enumera a consultora imobiliária, Arlene Gomes.

Além disso, o crescimento ocorre também porque houve a junção de condições para a retomada da compra de imóveis. Tendo em vista que, entre 2015 e 2019, foi bastante complicado. Arlene afirma que “a taxa básica de juros, a Selic, na casa de dois dígitos, fazia com que as pessoas deixassem o dinheiro aplicado na renda fixa; nela, há, praticamente, zero de risco. A taxa Selic baliza os juros do crédito imobiliário, eles estavam elevados”.

Com uma situação favorável, as pessoas começaram a questionar se realmente vale a pena comprar uma propriedade e assim, aumentando as visitas á imobiliária. “A taxa básica de juros caiu para 2% ao ano, e o crédito imobiliário acompanhou essa queda. Logo, deixar o dinheiro aplicado em renda fixa passou a não ser tão favorável”, elucida a consultora.

Pandemia 

A CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) disse que o ramo de imobiliárias no Brasil fechou 2020 com um crescimento de 9,8% nas vendas de residências. Para este ano, a expectativa continua sendo grande diante do âmbito imobiliário.

O Sinduscon-SP (Sindicato da Indústria e Construção) fez um levantamento recente comprovando o crescimento do setor imobiliário durante a pandemia da Covid-19. Segundo o Sindicato, a previsão de aumento neste segmento é de 3,8% em 2021. Não apenas a taxa selic, mas o momento epidêmico foi também um dos fatores que motivaram o crescimento do mercado das imobiliárias.

Os juros baixos e a disponibilidade de crédito não são os únicos responsáveis por esse crescimento, o momento também vem sendo grande aliado para o setor. “A pandemia fez com que as pessoas repensarem o seu modo de viver. A casa se tornou um refúgio, local de trabalho e lazer. Logo, surgiu a necessidade de investir em um imóvel de qualidade”, evidencia a empresária.

A procura por um espaço maior, que atenda as demandas de trabalho e estudos, e também concilie com locais mais espaçosos para brincadeiras e lazer de modo geral no dia a dia tem sido grande. Arlene elucida que “com isso, a demanda pela compra de imóvel começou a se mostrar maior do que a oferta em alguns casos”. 

Poder visitar o imóvel e estar em contato com a imobiliária sem sair de casa também foi um dos fatores que muito agradou os brasileiros durante a pandemia, tanto na hora de comprar, quanto para alugar. O número de anúncios de imóveis pela internet aumentou. Os bancos também ganharam força com os financiamentos pela web.

De fato morar num lugar que faça mais o estilo do comprador, não é um sonho distante e impossível de acontecer em 2021, com tantas facilidades assim, o negócio imobliário promete movimentar, no bom sentido, a economia do país nos próximos meses do ano.

Fonte: Arlene Gomes é especialista em estratégias e gestão ágil (OKR) para imobiliárias. Atua como consultora no mercado imobiliário (@arlenegomes220).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *